[ editar artigo]

Tango na alcova

Tango na alcova

 

Envolvido em tuas brumas,

em teu apoio me satisfaço,

porque sei que me aprumas

e em teu colo encontro afago.

 

Paixão, pelo tempo, amornecida.

Em refinado amor transformada,

mas em nenhum momento substituída

por simples relação conformada.

 

Carinhos embalados no dia a dia

não revelam a intensa carícia,

reservada à milonga  de maior picardia.

 

De fato, os sambas mais insinuantes

não entregam a pura malícia,

reservada à milonga mais ardente.

Literatura

TAGS

poema

amor

EternizArte
Helio Valim
Helio Valim Seguir

Alguém interessado em usar a poesia como uma crônica poética do cotidiano, com realismo e imaginação. Com mais de 30 anos no magistério superior tendo lecionado em Instituições de Ensino no Rio de Janeiro. Mestre em Engenharia.

Ler conteúdo completo
Indicados para você