[ editar artigo]

Retorno a poesia.

Li sobre "Quimerismo", e obrigo-me a uma resposta.

 Da Quimera à Primavera, o composto poema.

Os híbridos são anti-natura

Os híbridos são convulsão!

Descerrado o véu Cai como música a cortina estrepitosa

Deixai corre o líquido vivificante

Deixai quietas as Ninfas assim como as Musas

Que a cada instante nos conduzem, para que possa

Terminada a ilusão da Quimera

Trazer de volta a primordial que nunca desespera

A cada dia em alucinação nossa

E que sempre seja como dantes

Sem espectros ou aberrações abstrusas

Fórmula simples, sem alarde ou confusão

Para termos verdadeiras chuvas de Primavera

Com verdades singelas e flagrantes.

Literatura

Ler conteúdo completo
Indicados para você