[ editar artigo]

Quem eu era antes de te esquecer?

Quem eu era antes de te esquecer?

 

Em minha casa há duas malas.

A que se usa para passear, e a que se usa para ir embora.

Esta tarde ele pegou a mala de ir embora. Tirou toda a poeira, esfregou com o escovão e pôs ao sol.

A mala de ir embora nunca foi usada. A de passear vivia velha e acabada.

Já foi ao México, já foi a São Paulo e Rio.

E ia para Tocantins fazer sei lá o que.

Essa noite ele pegou a mala que agora recebia a frieza da lua e

Colocou tudo dentro.

As ilusões, as roupas, os pedaços do coração, as lágrimas, os risos e seu caderno de mentiras bem usadas, e a fechou com cadeado.

Saiu arrastando-a até a porta, pegou o casaco de orgulho tão velho e sujo e se vestiu.

Ele foi embora essa noite.

E eu fiquei olhando a porta fechada. E os dias se foram também

e os meses e os anos. Os invernos iam e vinham, o verão ia e vinha, e eu me esqueci.

Dele e de mim.

Quem eu era antes de te esquecer?

Não sei. Não lembro.

O riso das tardes alegres, os beijo de meus amores, a beleza que eu me tornei... Tudo me fez esquecer da fria e solitária eu antes de te esquecer.

Literatura

EternizArte
Bianca Blauth
Bianca Blauth Seguir

Alguém cujo jardim ainda está florescendo.

Ler conteúdo completo
Indicados para você