[ editar artigo]

Não fustigues os acuados

Não fustigues os acuados

 

Não humilhes o humilde.

Não perturbes o manso.

Não provoques o pacífico.

Não caçoes do desatinado.

 

Lembre-te dos limites.

Aqueles que nada têm,

nada têm a perder

portanto, não os intimides.

 

Provocar brios adormecidos,

é como fustigar fera ferida

que acuada, com ira, revida.

 

Acossados, céticos recuperam

as almas latentes e instigam 

a revolta dos oprimidos.

Literatura

EternizArte
Helio Valim
Helio Valim Seguir

Alguém interessado em usar a poesia como uma crônica poética do cotidiano, com realismo e imaginação. Com mais de 30 anos no magistério superior tendo lecionado em Instituições de Ensino no Rio de Janeiro. Mestre em Engenharia.

Ler conteúdo completo
Indicados para você