[ editar artigo]

Enfim...

Enfim...

Doce menina,

me embala, me anima.

Adoça meu jeito

com seu aroma de jasmim.

 

Seu meigo sorrir,

acalenta o meu dormir.

Me faz  sonhar com seu jeito,

com sua boca carmim.

 

Sua voz me encanta,

enquanto canta,

me faz lembrar do seu jeito,

com sua voz de querubim.

 

Sua sedutora jovialidade

relembra minha maturidade.

Me faz desejar o seu jeito,

com seu quê de quindim.

 

Enfim...

Sua alma feminina,

me seduz, me fascina.

Reluz na minha vida

com seu carisma sem fim.

Literatura

TAGS

POEMA

SEDUZ

EternizArte
Helio Valim
Helio Valim Seguir

Alguém interessado em usar a poesia como uma crônica poética do cotidiano, com realismo e imaginação. Com mais de 30 anos no magistério superior tendo lecionado em Instituições de Ensino no Rio de Janeiro. Mestre em Engenharia.

Ler conteúdo completo
Indicados para você