[ editar artigo]

Doeu mais...

 

Sim, doeu mais
afinal confiei em ti
te contei o que afligia
onde doía mais,
e você foi cruel, sem coração
foi lá e apertou ainda mais
você me bateu
me deixando agonizante 
e quase sem vida
sem ar, sem tua presença física
Onde ficou o amor, a paixão
a qual me dizias sentir
Partiu, sem nenhuma despedida
(DiCello, 17/12/2020)

 

Literatura

EternizArte
Marcelo Fouquet Rosembrock
Marcelo Fouquet Rosembrock Seguir

Assino meus textos com o pseudônimo DiCello

Ler conteúdo completo
Indicados para você