[ editar artigo]

Célere

Célere

Viver exige presteza.

Não há tempo renovado,

pois a vida não pondera

apenas cobra o seu legado.

 

Para o desdenho não há espaço,

pois estimula demagogia,

alheia, fora do compasso,

sem espaço para sinergia.

 

Ao caminhar céleres,

perseguindo o tempo,

arcamos com a urgência

suplicando-lhe clemência.

 

O tempo, nobre insumo,

ofertado gracioso

não deve ser desperdiçado,

pois é tão vital quanto precioso.

Literatura

TAGS

POEMA

TEMPO

EternizArte
Helio Valim
Helio Valim Seguir

Alguém interessado em usar a poesia como uma crônica poética do cotidiano, com realismo e imaginação. Com mais de 30 anos no magistério superior tendo lecionado em Instituições de Ensino no Rio de Janeiro. Mestre em Engenharia.

Ler conteúdo completo
Indicados para você