[ editar artigo]

Alma parnasiana

Alma parnasiana

 

Vos direi que sou parnasiano.

Ora direis, perdeste o senso!

Então, vos direi, no entanto,

que deves conter vosso espanto.

 

Se, à noite, com estrelas converso,

não há dúvidas sobre meu verso.

Meu estilo preservo, com objetividade,

mas não dispenso sensibilidades.

 

Direis agora: mas isto é Parnasianismo?

Então, vos direi: tenho alma parnasiana,

mas minha crítica é cotidiana.

 

Vos direi mais: prezo a construção formal

e o preciosismo vernacular tradicional.

No entanto, cultuo, de fato, a crítica social.

 

Tributo à Olavo Bilac, inspirado no poema “Ora (direis) ouvir estrelas!” da coleção de sonetos intitulada” Via Láctea”.

Literatura

EternizArte
Helio Valim
Helio Valim Seguir

Alguém interessado em usar a poesia como uma crônica poética do cotidiano, com realismo e imaginação. Com mais de 30 anos no magistério superior tendo lecionado em Instituições de Ensino no Rio de Janeiro. Mestre em Engenharia.

Ler conteúdo completo
Indicados para você