[ editar artigo]

SER LÍRICA

SER LÍRICA

SER LÍRICA

 

No seu versejar, mimetiza flores

Emana calores e plácidos odores

Delicadeza imperturbável, natural

Infusão de amor na pele, sem igual

 

Não desponta lua adversa ao seu lume

Sua escrita é resistente às areias finas

Ameno balouçar de emoções fugidias

Vertida vertigem de ondas marítimas

 

Sol e sombra não se esquecem

Onde o amor perdura na poesia

Sereias na costa se empalidecem

Diante de sua majestosa simetria

 

Encanto que não se esconde no canto

Rosa que não deixa de ser poderosa

 

A ventania agitadiça que se silencia

O silêncio das vias urbanas que grita

Se isto ou aquilo, não faz diferença

Eterna e é terna a vida na presença

 

Até o mar absoluto transige, distende, recua

Mesmo o Poseidon se intimida e retrocede

Na grafia divinal, tão intensa e tão plúrima

Desta ser lírica chamada Cecília Meireles

 

Clipe poético em parceria com a multiartista venezuelana Damelis Castillo:

 

#Poesia #Concurso #PoiesisEternizarte

Concurso Poiésis EternizArte

EternizArte
Pietro Lemos Costa
Pietro Lemos Costa Seguir

Escritor, Poeta, Comendador e Embaixador da Paz da OMDDH, presidente da Academia Cruzeirense de Letras, Acadêmico Internacional da FEBACLA, Membro ACILBRAS/AIL/Literarte/Cultive/AILB/Conunives, autor de 4 livros, co-autor de mais de 30 coletâneas.

Ler conteúdo completo
Indicados para você