[ editar artigo]

Rastros Ancestrais

Rastros Ancestrais

Deita-se sobre a minha pele

A cor da batalha

Meu olhar é navalha

Meu sangue é rastro

Trilha

Feito de vidas

Um corpo marcado

Passado

Jamais calado

Ancestralidade pungente

Cor latente

Meus gritos têm som de tambores

Em meus ouvidos seguem rumores

Meu suor exala luta

Minhas mãos, a cura

Em minha coroa

Deuses e deusas

Minha postura

Guerreira, rainha

Uma fera

Ferida

Criatura protegida

O canto que encanta

As mãos que espantam

A boca que sopra

Meu corpo é templo

Sou filha do vento

Dona das águas

Guerreira das matas

Feita de marcas.

 

                                                                    Simone Soares

#Poesia #Concurso #PoiesisEternizarte

#Poesia #Concurso #PoiesisEternizarte

Concurso Poiésis EternizArte

EternizArte
Simone Soares
Simone Soares Seguir

Mulher negra, mãe, professora, militante social e cheia de sonhos.

Ler conteúdo completo
Indicados para você