[ editar artigo]

Januarium 2021

Janeiro trouxe consigo novos ares‚ novos anseios.

Os louvores ressonantes e os olhos absortos já não me bastam.

O mundo já não somos eu e minhas vaidades;

existe uma sede maior.

Os êxtases do ego não são o suficiente,

porque o que se busca é uma perenidade além de nós mesmos.

Da relva, emergem fragmentos de uma Beleza incógnita.

O sol adentra os jardins‚ impregna o asfalto,

repousa no coração do imponderável.

Depois da pandemora, germinam emoções inadiáveis.

Uma certa urgência impregna nossos atos;

é chegado o Tempo dos gestos profundos.  

As lágrimas e os sorrisos se misturam

e compõem uma nova Natureza.

A lágrima que percorre a nossa face

não é de tristeza;

é de uma alegria que ainda não foi criada,

que estamos criando,

entre olhares eloquentes e corações abissais.

Depois da noite oceânica,

a aurora vívida prenuncia um rosto que ainda não emergiu das consciências.

O braço de meu irmão clama e me conclama a algo Maior,

que pulsa sob o asfalto onde nasceram as flores do bem.    

É preciso trazer a voz do Outro e tragar o tempo do afeto.

#Poesia #Concurso #PoiesisEternizarte

Concurso Poiésis EternizArte

EternizArte
Saul Gomes
Saul Gomes Seguir

AMO minha família, as palavras, a Vida!

Ler conteúdo completo
Indicados para você