[ editar artigo]

Caminhos

Caminhos

O tempo não para

Mas, às vezes, dá um tempo

E freia cada pensamento que tenho

Para que eu possa entender

O que se passa comigo,

Se corro perigo, se ligo para um amigo.

 

Às vezes eu paro o carro

Só para ver as pessoas nas ruas

Vestidas, mas tão nuas

Se cruzam em cada esquina

Não se olham, não se falam

E procuram seguir, cada um o seu caminho.

 

Mais tarde vou almoçar

Comer algo leve com água mineral.

Percebo que, entre tantos desejos que eu tenho, você está em todos.

Isso me faz voltar a ligar o carro

E te seguir por aí.

 

Olho o relógio para ver se o tempo para, mas ele não para.

Ele segue, você segue, a vida segue.

E eu continuo por aqui

Buscando olhar seus olhos

Para entrar na sua alma

Pois ela me acalma, me acalenta.

 

Hoje eu não vou jantar

Pois te vi à tarde e você me alimenta.

Nem todo sonho que tenho me leva até você.

E é por isso que eu acordo.

 

#Poesia

#Concurso

#PoiesisEternizarte

Concurso Poiésis EternizArte

EternizArte
Eduardo Gil
Eduardo Gil Seguir

Médico, escritor, músico e compositor

Ler conteúdo completo
Indicados para você