[ editar artigo]

A COR DA VOZ

A COR DA VOZ

A voz do poeta consome a minha voz
Ele deglute meus pensamentos
Ressoa em tantos intentos
Dá cor a voz

Pinturas sonoras guiando a memória
Em palavras e versos todas te devoram
Escarlate é o tom da voz
Vozes caladas, agora falantes

Sem reservas, me consuma
Devore tudo em mim e dê o tom
Exista sem medo
Resista e seja a cor

Nas paredes tu vibras
As imagens que as vozes equilibram
Digesta, mista e resta
Tens os tons de um raio de luz sobre as águas


Tua língua me teve
Poetizado e selado
Engolido te fiz escravo
Vomitado te fiz livre

 

#Poesia #Concurso #PoiesisEternizarte 

Concurso Poiésis EternizArte

Ler conteúdo completo
Indicados para você