[ editar artigo]

A Absurdez da Vida

A Absurdez da Vida

No nascer dos sóis, foram tantos os que se perguntaram o que é a vida, o que é o viver..., mas nada definitivo foi encontrado, além de palavras, opiniões e meros significados. A vida é um caos no Universo ou seria o homem este caos, a desordem, o regresso?

O caos, que é a vida, tornou-se num absurdo, que é viver. Um absurdo existencial do qual não se pode esconder. Rodeada por uma infinidade de questionamentos e permeada por um vazio que nos leva ao lamento: assim é a vida.

Visando preenchê-lo, vamos lançando neste vazio, partículas de significados, compostas por elementos muitas vezes desconhecidos e desordenados. Vivemos numa busca desenfreada de algo que nos ajude a compreender a vida, essa longa jornada, de algo que possa significar o ato de viver. Uma busca que nos frustra, que nos cansa, que nos lança novamente no caos de uma existência descontente, sem o brilho de um amanhecer.

É preciso entender e aceitar a impossibilidade de significar tudo que nos rodeia, que nos acontece, que nos permeia, pois a vida não é constituída por definições banais. O máximo que podemos alcançar é um sentido, um sentido que é próprio, intrasferível, mas mutável e quase incompreensível. A absurdez da vida não está no homem, talvez o absurdo não seja nem mesmo o espaço que ele ocupa, que o suga, que o consome...

O absurdo existencial, na verdade, está no encontro dessas duas metades, na fronteira do humano com o Universo, nas delimitações do compreensível, na inquietude do questionável, na certeza do falível. O absurdo existencial poderia se transformar na mais rara beleza se tivesse um manual com instruções e clarezas.

Quão útil seria se tivéssemos um baú de sentidos para todos os fenômenos que nos acometem dia a dia, mas não o temos e, enquanto esperamos o tempo passar, o cansaço bater e a vida findar, inquietantemente, que possamos viver absurdamente!

Concurso Poiésis EternizArte

EternizArte
Fabrício Sousa
Fabrício Sousa Seguir

Formado em filosofia e graduando em psicologia na Universidade Federal da Bahia (UFBA). Amante dos textos poéticos e da poesia musicalizada, dando especial atenção aos poemas que versam sobre as questões mais íntimas da complexa existência humana.

Ler conteúdo completo
Indicados para você