[ editar artigo]

Vida

Vida

Estou com medo de escrever, pois achei que tinha superado;

Curado algo que ao certo nunca conheci.

Tenho medo de chorar, pois as lágrimas sempre foram reprimidas;

E com isso, nunca julguei justo utilizá-las.

Procuro ficar, pois tenho medo do que virá e todo ciclo se repetir.

A busca por abrigo talvez não faça mais sentido, pois pode ser fundo demais para suportar.

Pensar em soluções não consigo mais, pois tudo parece distante e intocável;

Reconheço minha fragilidade e limitação.

Contudo, ando perdido nessa selva cheia de perigos.

Luto por dias melhores e imagino o futuro, pois tenho esperança de um lance em plenitude.

Vou respirar, dar vazão ao tempo e espaço, buscar por ajuda e logo perceberei que tudo não passou de um obstáculo.

Pois, é preciso entender que a vida é um mar;

Com idas e voltas, tempestades e verões, geleiras e profundezas, calmaria e agitação.

Nunca mais hei de duvidar das fases da vida, do pulsar da paixão e da força do amor;

Pois, quanto mais dias passo a respirar, vejo que muita coisa não se explica.

E como dito por um sábio: tudo é relativo.

Ler conteúdo completo
Indicados para você