[ editar artigo]

Vermelho

Vermelho

Amor, ódio, sangue,

Vermelho

É a cor do ódio que propaga e traz sangue no bumerangue

Sangue que não apaga a luta pelo amor 

Porem pelo amor outros fingem guerrear enquanto no fim, só derramam mais sangue porque se alienaram a acreditar que o diferente é ser ruim

Em vão 

O vermelho virou um vão

Demonizaram em vão e em vão vão matando a luta de milhões

Milhões que mancharam suas roupas de vermelho para que outros milhões futuramente pudessem escolher com que vermelho se sujariam primeiro

A historia sempre se repete de maneiras diferentes ou piores,

Mas nenhuma geração deveria esquecer do que pregavam para que ores, eu costumava me interessar no ser cristão ate o dia que despertei pro quanto traziam escuridão

Pessoas não eram aceitas, não pregavam amor, forçavam, lavavam, retiravam quem elas são 

E o amor nunca faz isso e digo sem nenhuma exceção 

Em que ponto as pessoas se perdem eu não sei mas sempre o ponto perdido tem relação com uma falsa oração, a partir dai o bem das pessoas virou minha maior religião 

Doutrinas em excesso só servem para aprisionar em ideias de outras, seja livre, e poderá ajudar muito mais pessoas 

Expresso em versos talvez um pouco dispersos a ideia de que você pode se expandir sobre o universo mesmo acreditando em um ponto adverso 

Ou seja crer em algo ou não, não faz ser necessário jogar tudo de outra visão fora em vão

As cores nunca seriam descobertas se não tivessem sido misturadas, quem sabe um dia vocês descobrirão também as cores secundárias. 

#Poesia #Concurso #Eternizarte 

EternizArte
Marissa de Paula Barbosa
Marissa de Paula Barbosa Seguir

24. ♒. Eu seria trágica se não fosse cômica e, cômica, se não fosse trágica. Amo escrever poesias, crônicas, contos, fanfics e historias originais. Tento trazer algo novo, assuntos importantes e personagens com peculiaridades.

Ler conteúdo completo
Indicados para você