[ editar artigo]

Um dia de Junho

Um dia de Junho

Coloco um Tim Maia pra tocar

Assento no sol — no chão do quarto que entra a claridade da janela

Fecho os olhos

E penso em você

A boca saliva pensando no seu beijo

O olfato aguça, como se sentisse seu cheiro na minha blusa

E um arrepio percorre minha nuca

Como se você passasse a mão para puxar meu cabelo ou fazer um carinho na cabeça

Percebo que sonho mais acordada

Do que dormindo

Percebo que te imagino mais do que imaginei

Suspiro

Respiro fundo

E solto o ar

Deu vontade de tomar uma cerveja

Mas ainda é cedo

E talvez eu só queira fingir que o álcool supre alguma coisa

Como a sua ausência

Como a minha carência

E, na verdade, o sabor da cevada na garganta

Só seja bom

Quando é acompanhado da sua boca

Com a língua percorrendo a minha

Esse tipo de coisa eu não falo em voz alta

E queria nem pensar

Porque, assim, meu corpo se excita com a sua lembrança

E eu tenho que suportar

Sendo que não tenho mais forças para aguentar

Esse desejo

Essa vontade

De você

Então desligo o som

Fecho as cortinas

Afundo a cara no travesseiro ao deitar na cama

Para gritar um grito sufocado

Agoniado

Daqueles que só quem tem você no pensamento consegue entender

E eu garanto que não sou a única

Que pensa em você

Espero que o sono chegue

Que os sonhos sejam pesadelos ou imagens distorcidas

Pois é mais fácil

Lidar com a angústia

De maus sonhos

Do que com um peito apertado que não pode

Clamar

Falar

Chamar

Seu nome

E nem te chamar de amor.

 

Ler conteúdo completo
Indicados para você