[ editar artigo]

UIARA

UIARA

UIARA

No fundo da lagoa ela s'esconde
À espera do guerreiro cuja morte
Faz mais doce entre cânticos, de sorte
Que a siga sem saber sequer aonde.

Àquela voz nas águas mais responde
Com juras desvairadas, pois, o forte
Deseja tão-somente que o conforte
Sua mirada sem quando nem onde...

São olhos claros qu'ele, mergulhando,
Pelas águas escuras vai buscando
Em seu corpo desnudo de mulher.

Enquanto o faz descer mais e mais fundo,
Ela o guia através d'aquele mundo
Que há debaixo d'água a quem a ver.

Belo Horizonte -14 02 1994

EternizArte
Ricardo CUNHA
Ricardo CUNHA Seguir

Escrevo. Gosto de escrever. Se sou escritor ou poeta, eu deixo para o leitor ponderar. https://medium.com/@arqt.ricardoc

Ler conteúdo completo
Indicados para você