[ editar artigo]

TRIÚNFO

Haja o que houver
Ainda te hei de querer
Venha o que vier
Ainda em ti verei prazer;

Nosso amor sopra sopros
Sorrisos sorridos...
Sã simpatia sentida
Outros foram com vento;

Mas nós estamos aqui
Vivendo do que a nós
Prometidos na terra foi
Amarmos-nos a exaustão;

Saturar os espíritos malogrados
Não é pecado o feitiço
Que foi em nós jogado...
A salvação da salvação;

Tem tintas tais beijos
Beijos que nos beijamos ao mar
Aquando descobrimos...
O quão bom é se amar;

Nuvens não pintam
O que desenham no céu
E enquanto o sol morre
Renasce em nós uma lua;

Esta lua que ilumina
A rua dos sentimentos
No palácio d'orgasmos
De nossos mansos desejos...
 

TAGS

PENSOLOGO

EternizArte
António Andrade
António Andrade Seguir

EU SOU O QUE SOU QUANDO SOU O QUE SOU... Autor/escritor/poeta e declamador

Ler conteúdo completo
Indicados para você