[ editar artigo]

Travessia

Travessia

 

Entre letras, pingos e pontos me perdi, quando da incessante e quase compulsiva caça de palavras que expressasse o meu dizer.

Muitas encontrei pelo caminho – presas fáceis! Outras me desafiavam, ocultando-se hermeticamente em seus esconderijos semânticos, camufladas entre signos e contextos, mas que seriam a peça faltante do quebra-cabeça do contar.

Tentei blefar, sabotar grafias, premeditadamente transgredir a lei. Que me perdoem os vigilantes gramáticos!

Garimpei por rochas. Com a paciência de ourives, poli palavras e expressões, na ânsia de soltar no mundo o meu eu.

Passei por labirintos. Tal Ícaro, peguei das asas da imaginação e galguei as alturas. Já sem o risco da queda ou da sedução de deixar-me levar pela surpresa da descoberta e mudar de direção. De cima, quem sabe, poderia avistar a peça perdida na densa floresta encantada.

Recuei, peguei fatos de vida, dispersos e distantes, já desbotados pelo tempo. Colori. Dei “flashback” nas músicas que marcaram a memória, tal isca nas mãos do pescador.

Na aventura do me revelar, continuará sempre à frente o desafio da travessia do infinito deserto do Papel Em Branco.

 

Edna Queiroz - Poeta, Roteirista

EternizArte
Edna Queiroz
Edna Queiroz Seguir

- POETA, gosto de brincar com as palavras, fazendo do sonho minhas asas; da tinta a ponta do iceberg do pensamento. Membro da ACILBRAS - Academia de Artes, Ciências e Letras do Brasil, cadeira 624. - ROTEIRISTA - PERCUSSIONISTA * Arte é vida!!!

Ler conteúdo completo
Indicados para você