[ editar artigo]

transas linguísticas

transas linguísticas

conversas sinestésicas

à beira das extinções

das vírgulas, dos pontos,

comendo toda a pontuação

 

lentamente, escorrendo

entre os tópicos, e

teu olhar de exclamação

me faz morder os acentos

 

percorro tuas linhas

para namorar teus verbos

lamber teus sinais circunflexos

dedilhamos a tudo em tom de metáfora

 

por isso, acabamos à mesa

chupando figuras de linguagem;

nós dois tirando fonemas, rimas

e passando da poesia à prosa

 

como se nada coubesse numa frase.

o ar denso engole o hífen, e

agora me faltaespaçoparapontuar

 

te busco cheio de cólera,

me deixa ser teu advérbio de intensidade

que confesso que as paixões

são o everest de deus;

 

quero uma vida de primeiras vezes,

quero tuas palavras nuas

que se encaixam tão bem em mim,

quero teus nudes intelectuais

 

você ofega adjetivos,

te enforco as conjunções

e só sobra, gemido eco e hiato

agora tato, olfato e paladar falam

 

você pode me ter como um animal

como a última xícara de café do mundo

vamos saqueando e brincando

de recursos poéticos.

 

enfim, te digo

que essa paixão por tu,

é colossal, preciso ser dois para te ter,

e ainda assim bebo teu mel, tuas conjunções

e todas tuas filosofias... mas, sempre peço bis. 

transas linguísticas

 

conversas sinestésicas

à beira das extinções

das vírgulas, dos pontos,

comendo toda a pontuação

 

lentamente, escorrendo

entre os tópicos, e

teu olhar de exclamação

me faz morder os acentos

 

percorro tuas linhas

para namorar teus verbos

lamber teus sinais circunflexos

dedilhamos a tudo em tom de metáfora

 

por isso, acabamos à mesa

chupando figuras de linguagem;

nós dois tirando fonemas, rimas

e passando da poesia à prosa

 

como se nada coubesse numa frase.

o ar denso engole o hífen, e

agora me faltaespaçoparapontuar

 

te busco cheio de cólera,

me deixa ser teu advérbio de intensidade

que confesso que as paixões

são o everest de deus;

 

quero uma vida de primeiras vezes,

quero tuas palavras nuas

que se encaixam tão bem em mim,

quero teus nudes intelectuais

 

você ofega adjetivos,

te enforco as conjunções

e só sobra, gemido eco e hiato

agora tato, olfato e paladar falam

 

você pode me ter como um animal

como a última xícara de café do mundo

vamos saqueando e brincando

de recursos poéticos.

 

enfim, te digo

que essa paixão por tu,

é colossal, preciso ser dois para te ter,

e ainda assim bebo teu mel, tuas conjunções

e todas tuas filosofias... mas, sempre peço bis. 


Onde me encontrar: @atlas.hutton

 

Ler conteúdo completo
Indicados para você