[ editar artigo]

Sussurros sob o assoalho(vozes que confabulam com o vento)

Sussurros sob o assoalho(vozes que confabulam com o vento)

 

 

Naquela vivenda de retratado século insólito
anosas vivências paternalistas
em austeras brasas instrutivas


Confabulada voz que segue o vento
em desalentos arquejos

turra espectral

 


Proclama o poder pútrido
que jaz em carne sede
em perto local descanso


Voltes,á sua penúria imposta
aceites,tua hora derrota
ó pobre devaneio preso á matéria

Foste feliz
enquanto o comum
lhe fora entregue em gosto desejo

Não andes em coloniais madeiras
das quais não mais lhe pertencem
não umbres solidão e injustiça

Sua tempestiva rouquidão
sob o velho e surrado assoalho de lei
és de indigesta aceitação

Sucumbirás
o avanço progresso do  querer Futuro

 

A pobre e  flutuante esperança de regresso

tornara

  detento de Si

em destino desobediência

Ler conteúdo completo
Indicados para você