[ editar artigo]

SERENANDO

SERENANDO

SERENANDO

Diante de tua casa, minha amada, 
No sereno da noite vi ensejos... 
Às estrelas cadentes fiz desejos 
E a lua derramou-se enamorada. 

Quis anjos a rodear tua mirada,
Ecoando em serenata seus arpejos. 
E te acordar na alcova entre beijos 
Para em teus olhos ver a madrugada.

No entretanto, passo horas tão sozinhas
Que ora a lua e as estrelas tão-somente
Vêm m'escutar a balda serenata. 

Mas, se sob a janela me adivinhas,
Fico a esperar que venhas de repente
Para em teus olhos ver a lua em prata... 

Santa Bárbara - 05 07 1996

EternizArte
Ricardo CUNHA
Ricardo CUNHA Seguir

Escrevo. Gosto de escrever. Se sou escritor ou poeta, eu deixo para o leitor ponderar. https://medium.com/@arqt.ricardoc

Ler conteúdo completo
Indicados para você