[ editar artigo]

Sempre-me

Sempre-me

Sempre-me

Poema vencedor do Concurso Nacional de Poesias "Carlos Drummond de Andrade" (SESC - DF)

 

O caminho de quem parte


permanece

nos olhos

que ficam



que fitam

que se espantam

que se findam.



Tudo o que encontro


se

perde

me

esconde

me

prende

me.



Todo encontro

me

desfaz

me

desarma

me

deserda

me

desmente

me

desvela

me

desmonta-me

E vive-se sempre muito depressa.
e sempre é tarde demais!

EternizArte
Mauro Sérgio Santos da Silva
Mauro Sérgio Santos da Silva Seguir

DOUTORANDO EM EDUCAÇÃO MESTRE EM FILOSOFIA. ESPECIALISTA EM EDUCAÇÃO E GESTÃO DE PROJETOS. BACHAREL E LICENCIADO EM FILOSOFIA. EDUCADOR. MEMBRO DA ACADEMIA DE LETRAS E ARTES DE ARAGUARI. MEMBRO DA UNIÃO BRASILEIRA DE ESCRITORES - UBE. ESCRITOR PREMIA

Ler conteúdo completo
Indicados para você