[ editar artigo]

Sem tido

Vejo sentido em te ver

E sentido em mim não há

Qual seria o desvario

De se me deixar amar?

Contra vãos lagos ou rios

Toda a dor urge passar

 

Cantoneiros só dirão

Não passar de tempestade

Baderneiros sorrirão

Com tanta simplicidade

Não, sentido não há não

Nem espero se formar

 

Um, dois, três só entenderam

Com toda a conveniência

Talvez só se entreteram

Com tamanha incompetência

Julgamentos só são vagos

Se procuram direção

 

Ante, após ou logo ali?

É que deves repousar

Quanto tempo se passou

Sem citar o sol raiar?

Não importa, feche os olhos

E repita com si mesmo

Nada disso tem sentido

Quem dirá ser o primeiro.

 

#Poesia #Concurso #Eternizarte

 

Ler conteúdo completo
Indicados para você