[ editar artigo]

Segredos velados!

 

Ser ou não ser
meus diários e eternos
todos os questionamentos
Ah, a minha poesia 
ela não me pertence
e sim, que a lê
Julguei que me bastasse
para depurar...limpar
sem sofrer, nem sentir
muito menos pensar
Me desnudo inteiro,
revelo segredos
os mais secretos
que a ninguém eu revelei
Não bebo, mas entorpeço
ao traduzir-me
E interpretar momentos
sensações e sentimentos
os meus casos... os acasos
todos os cacos espalhados
através dos tempos
Aos amores apaixonados
tudo reverbera... eclode
Exala dos pensamentos
aquelas lembranças
Transcendendo desejos
Delírios intensos
sem esquecer dos delitos
os mais cheios de pecado
toda a intensidade do sexo
Que inflama a alma
e transborda do corpo afora
Assim eu poetizo
(DiCello, 18/08/2020)

 

EternizArte
Marcelo Fouquet Rosembrock
Marcelo Fouquet Rosembrock Seguir

Poeta, viajante, observador, amante do belo, romântico por natureza, intensidade sempre foi a minha essência. Escrevo com alma, com coração cada um dos meus poemas. Assim sou eu... uns gostam, outros atiram pedras, mas quando escrevo, sinto leveza!

Ler conteúdo completo
Indicados para você