[ editar artigo]

RELEITURA ROSEANA 02

RELEITURA ROSEANA 02

 

Tudo se amacia na tristeza

Pronto abandonada ao largo

Dos tristes trópicos:

Sei nada não.

Aquela saudade permanece abandonada

É na alegria que me reconheço!

Deixei minhas infâncias adormecidas

Naquelas matas montanhosas de minha cidade

De crescer e virar gente.

Maluquice de garoto amanhece o dia.

Quem me dera ver

O florescimento arrebatado

Daquele meio-dia?

Quantas horas de sol sobre a pele

De pintas e pelos de jaguatirica?

Quase felino caminho

Quase bicho cheiro

Quase mata verdejo

Quase peixe mergulho

Na clareza das águas rasas

Dos rios bronzes de pedra

Adormeço!

 

 

Ler conteúdo completo
Indicados para você