[ editar artigo]

Que não seja um adeus

Que não seja um adeus


Ela caminhava um caminho árduo
Seus pés sempre inchados
Pernas cansadas...
Ela porém, nada temia
Sempre imersa em pensamentos distantes.
Logo quando amanhecia
Ela já havia acordado
Sempre com um sorriso no rosto
Enfrentava de peito aberto a labuta do dia
Determinada...
Em seus sonhos ela buscava tempo
Para que pudesse envelhecer junto à família
Sentada à porta naquele fim de tarde
Ela orava!!!
Em suas orações pedia por mais um dia
Lembro-me do aroma de café pela manhã
Lembro-me do seu olhar entristecido nos dias de natal
Ao observar a mesa vazia...
Ela amou e buscou ser amada além dos limites.
Ela foi mãe e fez todos os sacrifícios!
Ela vive em minhas recordações
Meu por do sol diário!
Sufoco-me inconscientemente na certeza
De que não haverá outro dia nem outro momento
De que tudo o que à mim resta,
São, velhas fotos guardadas em empoeirados álbuns
Algumas em porta retratos ...
Angustia-me a sensação de perda
Pois, sou humana e não fui preparada para aceitar tua partida
Hoje estou aqui não para lamentar
Perdoe-me se estou por demasiada tristeza
Vim somente lembrar da pessoa que ela foi
E sua merecida importância,
Vim somente lembrar !
E já sem delongas
Sei que em meus sonhos iremos nos encontrar
E como de costume
Me dará sua bênção
Para que eu possa repousar. -

EternizArte
Drilly Manfre
Drilly Manfre Seguir

Designer, empreendedora, acadêmica de Marketing, escritora. Cursos de História da Arte, desenvolvedor de software e Arquitetura da computação.

Ler conteúdo completo
Indicados para você