[ editar artigo]

Populares(ando)

Populares(ando)

De onde vim

Desde mirim

Aprende-se sim

Com os ventos da oralidade

Muitas leis consagradas na realidade,

Sem muita agonia.

 

Tipo, quem chupa cana não assovia;

Claro, não adianta chorar pelo leite derramado;

De certeza, beleza não se põe em mesa;

Na Visão, quem vê cara não vê coração;

Pare de esperteza, pois orelha não passa cabeça;

Vai na bravura, porque quem madruga Deus ajuda;

Nada de fricote, saiba que perna de barata não é serrote. 

 

E se te falta um sábio ao lado,

Aprende-se com o tempo que quem não ouve quieto ouve coitado;

Verá que é verdade verdadeira,

Não se tampa o céu com a peneira.

Para quem tá na pior,

Logo se atenta que quem ri por último ri melhor; e

Pra quem quer ser feliz,

Favor não descobrir um santo para o outro vestir.

Ler conteúdo completo
Indicados para você