[ editar artigo]

...E QUEM DIRIA QUE DEIXARÍAMOS A MÁSCARA NA CARA

...E QUEM DIRIA QUE DEIXARÍAMOS A MÁSCARA NA CARA

E quem diria...

Que o prazer de estar em casa

Um dia seria necessário e aconselhado

Sugerido, ordenado e decretado

Por um vírus mutante e criminoso

Pelo mundo espalhado

Como um pequeno agente infeccioso

E quem diria...

Que as atividades seriam paradas

Hospitais construídos em poucos dias

Comércios ficariam fechados

E ainda assim, as medidas pareciam tardias

Baseadas numa ciência sem norte

Surpreendida pelo fantasma da morte

E quem diria...

Que exercitar-se em casa, hábito viraria

E as lives aos lares alegrariam

O deboche surgiria versus Covid 19

De Governantes que o politizariam

Em paralelo ao interesse que o povo move

Superfaturas de cunho emergencial aconteciam

E quem diria...

Que entre barracos e mansões

Álcool em gel e máscara na cara

Colocaríamos na medicina pretensão

De uma vacina rápida e rara

Para um vírus de tão larga dimensão

Que afeta pessoas fatalmente e o mundo pára

E quem diria...

Que deixaríamos a máscara cair

Esqueceríamos o batom e/ou a barba

Iríamos parar para refletir

Que todos estão na mesma barca

E se um vírus consegue se expandir

Imagina o amor quando embarca

#poesia #concurso #eternizarte

EternizArte
Robevania Pessoa de Mendonça
Robevania Pessoa de Mendonça Seguir

ETERNA APRENDIZ DA VIDA.. Licenciada em Letras com Especializacao em Coordenacao, Supervisao e Inspeção Escolar.

Ler conteúdo completo
Indicados para você