[ editar artigo]

Pipas de guarda-chuvas

Pipas de guarda-chuvas

Um prelúdio cânone.Um encontro Cristalino e impúbere.
Vênia para um longínquo compromisso.Lavrado em uma noite de olhares,risos,beijos e toques na pele.


Ser um ímpio, para com a sorte dada ,em uma noite quente, com a brisa fresca e suave ,que balançava os cabelos em um destino.

Para um solitário e descrente do amor,o quão sorridente ,esse momento, o agraciara.
Bastado, era a sua definição do presente e futuro.
Daria mais vigor ,à sua vida profissional;seus exercícios físicos, deixados de lado pela preguiça,passeios mais frequentes com seu amado cachorro ,mas pouco atencionado;iria à feira ,cedo para escolher as melhores frutas-as limparia ,com uma frequência assídua seu apartamento.


Todos esses pensamentos,eram idealizados por ele naquele momento, em que a mão de melissa, tirava seu cabelo dos olhos.

Um compromisso marcado, consigo mesmo, em uma passagem,de um sopro...;

...do fresco vento, que pedia passagem entre as duas faces próximas uma da outra e com, um tênue segurar de mão.

Ora...-essa é minha hora,pensou Aldo ;olhando as estrelas ligeiramente voltando a atenção ,aos lábios de Melissa.


Com devaneios cada vez mais alimentados, pela beleza e pelo breve e pequeno gosto da pele de Melissa,sentido por ele,prosseguiu em suas afirmações imaginárias;


-Todos meus amigos,encontraram o amor,quase todos, têm filhos,eu tenho quase trinta,por quê ...não eu?;
-esse romance, pode ser eternamente lépido.Darei meu sono, para com ele.


Uma grande certeza, tinha Aldo ,em um Jardim de uma festa, com um apresentar casual-um apresentar,que tinha companhia de amigos dos ambos os lados ;até o momento a sós com ela.

Momento esse ,que perdurou até a partida dos casais no meio da madrugada, deixando-os ,pela a opção ,de "não velar"a noite dos amigos enamorados -pela aliança do compromisso.

Melissa e Aldo.Aldo e Melissa.

Entre sussurros e tímidos gritos de Melissa ,abafados pela música,peles à mostra ocultados pela noite e pela flores do jardim,o êxtase, chega com o início do dia.
Hora ,da recomposição de realidade.Do despertar acordado ,ainda que sonhado por ele.

Asseados, não estavam,vide o lugar gramado e falhado pela terra;mas de límpida alma ,mostrara Aldo.
Melissa, não se propôs a dar email,telefone ou qualquer contato até ela.Da dispersão dada por um leve selo na boca de Aldo-não dissera uma palavra,uma promessa de um talvez.


Aldo tentou pelos amigos em comum,a semana inteira, seu encontro.
Alguns diziam, não conhecê-la muito bem,outros, afirmavam dar, o telefone certo a ele-diziam também, que ela havia mudado, mas não tinham até o instante momento ,o novo endereço.
A tristeza e o descaso divino, haviam tomado Aldo.


Um dia, saindo de um cinema em um shopping,Aldo ,avista um dos casais que estavam naquela noite da festa ;o casal estava na fila, pronto para entrar em uma das sessões -dos diversos filmes exibidos.
Ele corre até eles, no instante que eles davam a entrada ao homem na roleta, ele os indaga.
-Vocês se lembram de mim?
-Eu Estava na festa do Grêmio dos soldados com vocês,sou amigo de Jorge e Gabriela.
-Sou eu,o Aldo

O casal que estava abraçado ,olha um para o outro,com um sorriso levemente falso, balançam a cabeça positivamente.
A mulher se desculpa a Aldo e diz ,que eles precisam entrar,ela puxa seu marido e se despedem com um "até mais".


Aldo estava frustrado ,de não ter tido a chance ,de perguntar sobre Melissa.
Com as mãos nos bolsos, olhando para o chão,Aldo levanta a cabeça e olha em direção à bilheteria,resolve então, comprar uma entrada para o mesmo filme do  casal,-que supostamente, teria a resposta para sua pergunta.

Esperar o filme acabar ,para abordá-los novamente,seria desgastante para ele.
Aldo consegue entrar na mesma sala do casal.
Estava quase lotado,era final de semana,ele os procura ,andando pelo corredor.

Após caminhar até a frente da sala,próximo à tela de projeção,Aldo olha para os lugares frontais e não obtém a  aguardada espera.
Resolve então ,fazer novamente o caminho inverso,olhando com um tento maior ,para todos os lugares.
De aspecto triste e desolado,com o pensamento de se imaginar feliz e acompanhado como os casais alegres e amorosos na sala,Aldo, vê Melissa.


Sua vontade; era de ir ao encontro dela ,na velocidade máxima de sua forças;no momento que suas pernas iriam se projetar para o impulso atlético,sua visão é mais veloz ao notar que ela estava acompanhada.
Também pôde perceber ,que o casal do qual "havia seguido",não estava com ela,Melissa,mas estavam,próximo a ela.


Aldo ,esconde seu rosto com a mão direita,na mentira ação ,de estar coçando a testa.


O Filme começa.


Ao perceber que não conseguiria sentar atrás dela pela lotação do lugar,Aldo oferece cinquenta reais a um casal adolescente,eles prontamente concordam.Tudo dito e acordado, com palavras ao pé do ouvido.
Ele se senta e, dirige toda sua atenção à Melissa e ,seu acompanhante.

Melissa está risonha e alegre,compartilha sua pipoca e dá curtos beijos frequentes no Homem que a acompanhara.
Aldo perde todos seus sonhos em um dos beijos.

Um beijo mais prolongado e feliz.


Quando se prontifica a ir embora,senta-se novamente.Aldo não sabe o que fazer ou pensar ou fazer.


TUDO ESTÁ CONFUSO E AMARGURADO!.


Olha para o casal à frente,do qual havia seguido pela motivação de respostas;estão entretidos com o filme;em nenhum momento, se dão conta da presença de Aldo na Sala.
Melissa ,aparenta pouco preocupada com a história projetada na tela.
Aldo, tem seu olhar para lugar nenhum.
O tempo passa, em um piscar de olhos ,para quem está "perdido".


Inicia-se os créditos do filme;luzes acessas.

Aldo, com um movimento felino, corre para o lado da parede,para o corredor lateral.
Se mistura ao grupo de pessoas que estão em direção à saída, mas vai adiando seus passos com o deixar ,de passarem à sua frente.Sua atenção, está toda voltada à Melissa.
O casal do qual Aldo havia seguido, cumprimenta Melissa e seu acompanhante;um aceno modesto,de meros conhecidos.
Essa é a percepção de Aldo-entre os corpos em movimento no fluxo do sair.


Melissa ,abraçada com seu par ,sai do cinema,Aldo, está logo atrás;escondido pelas pessoas que estão à sua frente.


O casal que  cumprimentara Melissa,não estava perto ou parado à espera deles.
Aldo os segue ,até o guichê ,que paga o estacionamento, que valida a saída do carro.
Melissa, não percebe em nenhum ,momento de que está "sendo seguida".


Não,Aldo não tinha nenhuma aptidão de um soldado ou espião, dotado de treinamento de elite.A sorte, estava com ele ,devido à lotação e a falta de atenção de Melissa e seu par.


Aldo,também paga o estacionamento e ,sobe a escada rolante rapidamente no intuito ,de alcançá-los em tempo.

Aldo ,perdera um tempo na fila ,em pagar seu cartão,nem pegara o troco na máquina.
Afoito ,olha para os lados do pátio,são muitos carros,-seria a parte errada do estacionamento?pensara ele.

Um riso alto, chama sua atenção,...era Melissa;ela está dizendo ao homem para não ligar seu celular após a saída do cinema,diz a ele ,que não queria, que ninguém os Interrompesse.

Melissa,usa de gestos obscenos com sua mão, na calça do acompanhante.
Aldo ,"marca" o carro deles e, rapidamente entra no seu.
Apesar de haver dois carros em sua frente,"na curvada saída estreita",Aldo, ainda ,consegue manter o Foco de seu alvo.
Alternando os Faróis,hora baixo,hora alto,hora apagado,se mantém oculto no retrovisor do "par de Melissa", pela Cidade.


O Homem que levava Melissa,encosta em uma rua vazia,longe da passagem de carros ou pessoas.

Aldo, está logo atrás,agora, está com seu faróis apagados-sem a alternância que usara,antes do acostamento .

 

Depois de alguns minutos,Aldo, reflete ,o por quê de estar ali,ENTÃO...desiste de "tudo aquilo" e ,se prepara para ligar o carro e deixar "tudo para trás".

No simples gesto  de girar a chave,no segundo que acende o painel ,para o estágio da partida do motor-ouve um tiro.
Assustado com a cabeça na altura do volante,consegue visualizar Melissa saindo do carro com uma Arma.Toda essa visão, Aldo ,tem praticamente com seu queixo próximo à buzina.


O QUE FAZER?O QUE FAZER? pensava Aldo, com tremores por todo seu corpo.

Melissa sai do carro,com um gesto de ajeitar seu vestido e limpar a arma nele;...ao terminar o gesto, percebe alguém a observando.
Ela iria jogar a Arma no carro de sua vítima,agora ,a engatilha novamente e, segue em direção a Aldo.


Aldo está petrificado,somente seus olhos, conseguem acompanhar a aproximação de Melissa.
Ela bate com a pistola em seu vidro,Aldo ,ainda não consegue se mexer.Seus olhos parecem não responderem também.
Melissa, agora aponta para ele, na intenção de atirar com o vidro ,mesmo fechado.

Aldo, em um despertar; sinaliza com as mãos para ela não atirar.Ela ainda move seus dedos levemente no gatilho.
Melissa ,novamente ensaia um tiro.
Aldo ,com uma das mãos no volante ,diz a ela ,-que abrirá o vidro com a outra mão., bem devagar...
Melissa ,aceita a "oferta."


Com o vidro aberto,Melissa o questiona sobre motivo de ele estar ali.De tê-la seguido.
Aldo, responde ,que a razão ,seria a saudade e uma resposta para uma continuidade de um novo encontro.
Melissa, balança a cabeça em um sinal negativo e, aos risos.A arma ainda está apontada para Aldo.
Melissa, olha para os lados ,para ter a certeza ,de que não terá nenhuma "outra surpresa"-outro infeliz no local.
Após esse gesto, ela pergunta a ele ,se ele estava está sozinho.
Aldo, diz que sim. ...


Melissa se sente lisonjeada,mas diz:-"sentir muito"

.
Três tiros contínuos são dados na cabeça de Aldo.


Melissa pega o celular e, faz uma ligação,;...alguns instantes depois,chega o casal que estara no mesmo cinema que ela.
O casal ,de que Aldo seguira até a sala da sessão.
Melissa, havia deixado um carro para sua Fuga,próximo a ela quando parou com o Homem do cinema,mas agora, ela pede ajuda ao casal, para colocá-lo de frente para com o de Aldo,os três ,ateiam fogo nos carros.
O carro da vítima,do homem morto por Melissa,visto por Aldo ainda em vida;é deixado intacto,mas sem o corpo,pois ele havia sido queimado ,juntamente com Aldo em seu carro -e o deixado por Melissa para seu egresso furtivo.


Melissa ,entra no carro e pede a eles ,para saírem logo dali.O casal apreensivo pergunta a ela, o que teria dado errado.
Melissa ,que está no banco de trás de um carro de quatro portas, manda eles, se calarem.
Pede a eles, calma,pois não havia câmeras ou testemunhas no lugar.
A mulher do banco da frente,confronta Melissa ,mais uma vez.
Melissa, a alerta, para ficar de boca fechada-sem perguntas.

O Homem na direção do carro ,não faz qualquer objeção à discussão de ambas.


Com a calma de um Budista,o Homem que dirige o carro, apenas levanta uma questão:
-Afinal,quem era o outro cara?
...o segundo morto,o que não era o Alvo.
-Não pude ver,você o desfigurou com seus tiros

Melissa responde:
-É o idiota da festa, da semana passada.Não sei como...,mas ele me seguiu.

 

O homem freia bruscamente o carro,sua frenagem, faz que o carro ,deslize levemente para o lado da estrada.
Então,com movimento de olhar para trás ele diz:
-O ALDO?VOCÊ MATOU O ALDO?
-MEU DEUS;ele estava no cinema hoje mais cedo.
-O QUE você fez ,sua IDIOTA?


Melissa em um gesto com os ombros e as mãos,uma resposta calada de um;"e daí"-não entende.
O Homem então explica a Ela ,de que se tratava do filho do Dr.Alano.O doutor como era conhecido nos "contratos"-era o chefe de todos eles,Aldo, era seu filho único; "do coração"
A Mulher que estava na frente,que havia se alarmado com Melissa,entra em desespero.Um desespero, de não controlar sua respiração.


O Homem então explica à Melissa;


-Nosso trabalho,é "dar cabo" ,aos maridos ou às esposas ,que queiram se livrar de seus Cônjuges.

Sejam eles ,por quaisquer motivos,seu trabalho, não era matar o filho do HOMEM que nos paga

Aquele dia da festa,você ,foi um agrado combinado para ele,por sua beleza e pela carência de Aldo.Você recebeu pelos seus serviços, sem saber, para quem você estava "servindo".
-O Doutor Alano, me pediu pessoalmente, para que eu desse um jeito ,para que você o conhecesse mais Intimamente ,naquele dia.E pelo que me parece,não foi nenhum sacrifício a você ,"ficar" com Aldo.


-Aldo, nunca soube das atividades do pai;jamais imaginou, o que ele fazia para ganhar" dinheiro extra".

Em um tom cínico,o homem prorroga seu discurso:
-Parabéns Melissa,você conseguiu, perfazer seu trabalho!!

Melissa,agora com a aparência menos calma,não consegue dizer nada.
Apenas disse, que Aldo era Bonito e parecia ,ser bem de vida,mas o trabalho dela ,não lhe dava" alternativas".
O Homem então, se prepara discretamente, para matar Melissa,mas melissa, é mais ágil em matá-los.
O casal morto no carro,eram marido e mulher,o casal de confiança de Dr.Alano.
Melissa, desce do carro e ,segue pela estrada escura com passos largos.
Sabia que se a encontrassem,sofreria o" Ágio" pelas mortes.

 

Melissa ,que nunca conhecera o Doutor Alano pessoalmente,teria que conversar com a mulher dele, aliás,sua amante.
..de que havia chegado,o momento ,delas ficarem juntas.

Letícia,mulher de Alano(madrasta de Aldo) saberia,que tudo,
saíra, como  ela sempre sonhara-desde o início.


Alano ,era apenas,uma aresta a ser aparada.

Ler conteúdo completo
Indicados para você