[ editar artigo]

Pássaros Migrantes

PÁSSAROS MIGRANTES

 

Pássaros migrantes fazem suas viagens sem esboçar traços incertos, mas aquilo que se observa há muito migrou para fora de nossa existência.

 

Abro os portões ao Cavalo de Troia, querendo por fim à minha fortaleza, porém, após o saque e a tortura, retira-se piedoso para aquartelar-se em maior exército.

 

Sei que o final de meus dias virá, mas, no momento,  ele é apenas um dos pássaros incertos que tento abater com um tiro daqui de dentro.

 

Pois, se de modo radical, a existência não consegue ter um aspecto puro, então, se misturarmos bem, veremos que o sabor adquire o gosto de tudo.

 

O veneno não precisa ser evitado, deve provocar o mais requintado prazer, precisa, por descuido, ser sorvido em pequenas gotas repetidas, para que ele deixe de migrar a nossa volta, para não cansar os olhos na pontaria.

 

Se me deito em folhas brancas e espinhosas, é para partilhar daqueles momentos do riso alheio, construo a boca aberta de espanto, desenho os dentes cerrados, dilacero os lábios em riscos de arado, e, tendo à minha frente o sorriso de dentro, beijo esse alheio no espelho de mim mesmo.

TAGS

Poesia

Ler conteúdo completo
Indicados para você