[ editar artigo]

PARTIDA

PARTIDA

Deves partir, eu sei,
É chegada a tua hora.
Tu, que me alegraste a vida
E me trouxeste música e poesia,
Sei que precisas ir embora.
É triste a despedida,
Como qualquer partida,
Mas saibas o quanto sou grato,
Ainda que não tenhas tornado fato
O presente que eu queria ter.
Cheguei a verdadeiramente pensar
Que terias morada sem fim,
Mas tua energia transcende o espaço,
De tamanho bem maior que um abraço,
Algo que não cabe mais em mim.
Chamaram-te dos mais diversos nomes,
Desde o mais simples, perene e belo
Até o mais ardente, fremente e fugaz.
Digo-te, porém, que não precisas de nome,
Pois não há qualquer palavra ou canção
Que possa declamar ou chamar
O que seja simplesmente emoção.
Cultivaste teu radioso jardim,
De flores de esplendorosas cores,
E ora devolvo-te em frutos
As sementes que tão bem plantaste
Em terras que eram lodo e secura
E hoje são munificência e brandura.
Terás lugar se quiseres retornar,
Até porque já deixaste tua herança,
Mas imploro-te que não venhas só:
Não te esqueças de trazer tua boa irmã
Conhecida por chamar-se esperança.

#Poesia #Concurso #Eternizarte

EternizArte
Mauro Celso Destácio
Mauro Celso Destácio Seguir

Alguém que planta sonhos e respira poesia.

Ler conteúdo completo
Indicados para você