[ editar artigo]

Paradoxo Existencial

Paradoxo Existencial

Cada passo que dou acredito em um amor que nunca restou, que se esgotou, e como uma flor, murchou. Ao pisar em espinhos, senti sangue em meus olhos aflitos, pensando durante todo o caminho, se meu nome em um livro ainda estava escrito.

Preso a meus pensamentos, acredito cada vez mais estar me perdendo, morrerei em meu próprio veneno, se não encontrar outro jeito. Queria acreditar que não estou sofrendo, porém estou sangrando por dentro. Choro quieto, mas perco a luz de meus olhos incertos.

Vejo o que não devo ver, acredito naquilo que me faz sofrer. Sigo os passos que nem sei dizer, pedi o que não posso ter e pensei fazer o melhor para você. Parece que algo vem massacrar-me, agora sinto os vermes comerem de minha carne.

A cada passo que dou, sinto a presença do vento que nunca me soprou. Eu venci uma batalha, mas de mim nada sobrou, apenas o que restava de ontem que me acomodou. Sigo para um caminho sem amor, cada passo sinto dor, mas estou bem como sou.

Com a cabeça abaixada, meu maior medo se esconde atrás de uma risada, mal feita, mal falada. Vou seguir sempre por uma nova estrada, mas nunca sairei há uma melhor jornada. A minha maior dor vem das suas palavras, nada me faz mais infeliz do que me perder na madrugada.

Se ao menos eu pudesse escolher entre eu e você, escolheria você porque não quero te ver sofrer. Eu poderia enfrentar o mundo, de mim poderia mudar tudo, porque você é o futuro, diferente, sobretudo o que todos procuram.

Agora fico perdido em meus pensamentos, que são levados pelo vento, a um passo do tormento, que minha alma envelhece ao passar do tempo. Cegado por algo que nunca iria mudar, sinto-me agora preso a este lugar. Queria poder recuperar os momentos para não errar, mas a minha força acaba de se esgotar.

 

#Poesia #Concurso #Eternizarte

 

EternizArte
Ler conteúdo completo
Indicados para você