[ editar artigo]

PANDEMIA POÉTICA

PANDEMIA POÉTICA

Tudo dói.

Não há cura.

O melhor remédio é o respeito. A precaução virou prova de amor.

Máscaras se tornam obrigatórias e é justamente o momento em que elas caem.

O ser humano se desnuda perante o desconhecido. Se isola e assim se mostra.

De um lado exércitos insanos. De outro, almas sólidas e solidárias.

Quem vai ganhar?

O inimigo é invisível, ainda que mundialmente presente.

Ele nos tira o ar.

Ele destrói vidas e aniquila a esperança.

Ele nos deixa terrivelmente doentes.

Esse “vírus” tem nome: Egoismo

#Poesia #Concurso #Eternizarte

Ler conteúdo completo
Indicados para você