[ editar artigo]

Os se7e Degraus Do Purgatório

Os se7e Degraus Do Purgatório

"Na Cinza incandescente",tinha ainda ,uma massa pastosa;grudava na derme como piche quente-daqueles que se lavam e ,ainda continuam na pele,queimando-a

Mas seu caminhar pela trilha escura de um lugar nunca visto ou pensado,era mais que desgastante,poderia se afirmar ,que era a mais solitária das sensações Humanas.
Comparado às dúvidas e atribulações que enfrentara antes,,eram mendicantes diante desta.


Poderia se perder a razão,em um lugar destes; não havia sentido algum,explicação ou ensinamentos, sobre essa prévia situação.
Treinamento ,seria de definição correta -justificativa plausível de preparação para se enfrentar um evento como este.

Talvez ,não houvesse mesmo uma explicação.Somente perguntas e um choro dilacerante.
Joana,Joana,como vieste parar em um lugar destes?Seria você ,a alma mais desprezível dentre todas as outras?


Chore Joana,Chore!!


Por mais que seja uma desgraça-alma;ainda lhe cabe ,o direito Irrefutável de seu choro.
Chore Joana ,Chore!!


Mas lembre-se,tente sair desse lugar, agora mesmo!.
Caminhe em passos largos e cuidadosos,não olhe muito para atrás,isso não mais mudará seu destino-essa escolha, poderia ter sido feita em um passado recente,mas, não agora.


Não agora.


Chore Joana,Chore...Mas ande DEPRESSA..
Afinal ,você não sabe aonde está,na qual contagem de tempo, você andarilha no momento.
O que fizeste Joana?O que fizestes Joana?
Olhe para as suas mãos,suadas e com sangue.

Do que lhe adianta ,resgatar os belos momentos de infância ,enquanto caminha?;...as lindas lembranças  de quando era ajudada em seus primeiros caminhares-como isso a confortará neste momento?.


Enquanto tropeça em si mesma e ,suas pernas gritam medo e horror passivo.
Joana,como vieste parar em um lugar como este?

Posse,Medo,Raiva,Autopunição;

...você, já havia mandado fazer a chave de sua "porta-desgraça",depois a abriu com chave de  automerecimento e  vingança.
O que esperava com isso?


Chore Joana,Chore!!

Mas saiba, que não passa ,de uma assassina cruel e doente,;matou para satisfazer sua mente sem empatia e, desprovida de intenções de ajuda.
O atraiu para um lugar deserto,na promessa de entrelaces e abraços amorosos,mas, premeditado ;de  deixá-lo ali,sem que pudesse abandonar o lugar por suas próprias pernas.


JOANA,JOANA!

ACHOU QUE NÃO EXISTIRIA UM DIA COMO ESTE,NÃO É MESMO?
aliás,UM LUGAR COMO ESSE!

Seu lugar ,em um dos "nove círculos " ,estará guardado e aguardado;mas ainda l,he falta saber ,o quanto ainda se movimentará entre as cadeiras.


JOANA,JOANA!


Quantos identidades reais você têm?
As das lindas fotos de viagem?,

Com vidas pagas?


Cuidadosamente calculados?


Joana!.


De todo esse pensamento autodestrutivo de si para um eu atormentado,você se perde no vazio preenchido de seu ego.

JÔ.


Você deturpa a realidade com sua visão merecedora da situação,levando alguns pedaços consigo ,lembranças do feito horrendo.
Com um pequeno sorriso de canto de boca, para contraponto ,para com a culpa imunda.
"A loucura supersônica",rápida, que vai dominando e derrubando as áreas de certo ou errado em seu cérebro.
"As ondas de choque de neurônios",que se manifestam sem o conhecimento de seu epicentro.
Terremoto causado ,por pensamentos grandes,.. caídos em solo cerebral,vindo de não sei onde, que estava para expelir desgraças -desde que havia se dado conta de ser gente.


Massa cinzenta, com nenhuma explicação sobre defeitos ou previsão de queda interna.

Culpa da má sorte e do acaso ,por não promover ou por sofrer influências químicas externa,que não deram oportunidades, para sua formação completa e ,para sua detenção de certos e corretos.


Medicamentos neurotônicos  para sua justificativa?



Chega de autojustificação para seu "novo dia" ;depois de andar a noite e ,esperando também" por ele "chegar,ainda permanecerá no escuro.

Ouvindo gritos e gemidos.
 

Agora,chore.

Pois ainda,não imaginas o que é um suplício ,de um indeterminado tempo.

 

E ficará falando com Si mesma,enquanto puder se desvencilhar,dos outros iguais a você.

CONDENADOS.

Ler conteúdo completo
Indicados para você