[ editar artigo]

Octa Vênus

Octa Vênus

Madrugada de sonho límpido,
onde as Estrelas em prumas prosas formosas,
sonorizam aromas em ardores;
favores,a um empurpurecer de devanear intrínseco.


Semeadora dos pensamentos a se revelar,
do ingênuo Humano brotar,
aos seus dizeres acordar,
em almo vaguear;

Resigne ao menos,
o despudor de Vênus.

A me dadivar,
com um simples ,epiderme encontrar.


Messe remansada...,
agraciada....resplandece;
ao se cortejar,
á transparência de pungência  em flecha carência.

Lembrada adolescência,
de ritos á efervescência. 

Ler conteúdo completo
Indicados para você