[ editar artigo]

O Centro do Sistema Pós Quarentena

O Centro do Sistema Pós Quarentena

Eu não te tomei em cápsula, D

Queria te sentir na pele

A chama nos meus olhos é a tua tese 

Arde mais que outrora em foguete cintilante

Em pensamento, tudo te rodeava

O fim era abrupto do lado de cá e ninguém podia te encarar

Pois és detentora de todo comódite de Luz que há.
 

Amarelo te chupo, através de tudo

Me Invadia em fendas, frestas e raios 

Com a ressaca do meio dia no estrago

Hoje sou eu que te penetro, com meus dedos te cego

Mas quando se pôr...eu espero.
 

Na ponta da laje eu vejo, tu mudou a rosa dos ventos

Havia aprendido com o lado de dentro

A porta fechada, o confinamento, silêncio..

Mas era só lamentos por nós mesmos.
 

Pois você me queima, a pupila reage e assim.. renasce

Peço fé na vida e no povo que aqui habita

Aqueço até na sombra da órbita 

E de manhã cedo, um beijo

Como um poliamor do clima-tempo.


Agora vamo,

Erguer o barraco da saudade 

Sem resquícios de conflitos e desconforto na cidade

Porque nos arde

Uma estrela de cura a favor da tranquilidade

Para quem tá só de passagem..

 

Allyne C.

#Poesia #Concurso #Eternizarte

 

EternizArte
Ler conteúdo completo
Indicados para você