[ editar artigo]

Nunca Mais

Nunca Mais



Ninguém sabe
Como o amor acontece,
Como ele chega

Durante a guerra
Ou nos dias de paz
Profunda e maldita?

Ninguém sabe
Como o amor acontece,
Mas ele acontece

Cedo ou tarde,
Na guerra ou na paz,
Nunca tarde demais

Amores vêm e vão
Mas nunca vem em vão
Porque é mágico,

Invisível, denso
Ou, como o teu,
Intenso

Não sei como chegou em mim
Leve, fugaz,
Fazendo sorrir minha amargura

Me trouxe a paz
Dos pássaros e dos bêbados
Paz que não esqueço 

Nunca mais
Como o corvo de Allan Poe:
Nunca mais

Ninguém sabe
Como o amor acontece
Mas, se for de verdade,

Como a noite e os cristais
Não se vai,
Nunca mais

(Ediel Ribeiro)

#Poesia #Concurso #Eternizarte

Ler conteúdo completo
Indicados para você