[ editar artigo]

Nós

Nós

Desculpar, perdoar e deixar ir. Desculpar é analisar, ponderar e retirar a culpa do outro, perdoar é doar-se por inteiro (Per = completamente), e deixar ir é entender o que te machucou e ter maturidade para liberá-la. 

Esse texto é para mim, você irá certamente participar, mas eu preciso dele para entender de uma vez por todas. Eu não sei deixar ir, eu seguro o que me machuca o máximo, apenas para sentir a dor, a dor me consola e eu sinto como se merecesse. Nada do que eu escrevo é válido, eu sou jovem e dramática. 

Eu não sou dramática. Eu não sou dramática. Eu não sou dramática. Mas talvez eu seja, esse vazio pode ser drama de uma cabeça jovem que ainda não sabe nada do mundo, tudo que eu já pensei e já tentei, era e é drama.  

Ninguém se importa comigo, não, não argumente com “Elas se importam sim”, sinto te dizer isso, mas elas não se importam comigo, elas se importam com você, e é com quem elas realmente deveriam se importar. Você é inteligente, engraçada, altruísta, confiante, preocupada, doce, amável e linda, sim você é linda. Se o mundo tivesse mais versões de você, eu tenho certeza de que ele seria um lugar melhor, você tem fé na humanidade, perdoar é o que você mais faz. Não importa o quanto alguém te quebrou, você nunca irá se fechar pra o mundo, você crê fielmente que ainda vale a pena viver, e que existem pessoas boas, e existem aquelas que precisam de ajuda, e você pode ajudar. Você me orgulha. 

Não posso dizer que somos antagônicas, pois dividimos alguns traços, ambas nos expressamos na poesia, nós vemos nas palavras lidam um sentido (Para mim alívio, para você esperança) e nós duas amamos completamente algumas pessoas. Mas só você tem esse amor correspondido, eu sou o mostro, a doente, a que te estraga. Ninguém se importa comigo, ou o porquê de eu chorar até soluçar, ou o porquê de eu me cortar com qualquer coisa que esteja nas minas mãos, não, se preocupam com o que eu estou fazendo com você, como eu tenho coragem de te destruir? Eu não te destruo, não existe eu e você, existe nós. Sem mim, você seria uma perfeição, seria aquela que sem dúvidas, mudaria o mundo, seria revolucionária, faria o possível e o impossível para ver o maior número de pessoas bem. Mas existe eu.  

Poderia dizer que você é meu pássaro azul, mas não, você não fica escondida, você é aquilo que todos veem e amam. Eu não te tranco numa gaiola no meu peito, claro que não, eu te coloco a frente, é você que sorri todos os dias para os outros, é você quem brinca, é você que todos conhecem. E ninguém faz questão de me conhecer, sempre querem você. 

Ninguém se importa com o quão destruída eu estou, mas sim, com o quanto isso te afeta. Realmente, você se importa comigo, mas é apenas você, e sim, com ninguém é ninguém mesmo. Nem aqueles que me pegaram no colo quando bebê, nem os que me veem diariamente, nem quem acompanhou minha lenta descida até o inferno, você é a única que importa. 

Eles dizem para mim “Você é inteligente, um doce, você é incrível, tem um futuro brilhante pela frente”, mas essa não sou eu, essa é você. Eu sou a “parte ruim”, eu sou quem está doente, eu sou a que chora de um modo tão sofrido, que até meu ódio sente-se compadecido, aquela que anda de cabeça baixa, amuada pelos cantos, a que deixa transparecer o pedido de ajuda nos olhos, mas preferem perguntar por você, do que lê-los, eu já pedi ajuda verbalmente, mas estavam preocupados com você, ao menor sinal do seu retorno, ignoram a minha existência. 

Eu preciso entender, que não importa o quanto digam, o quanto batam nessa tecla, eu preciso entender. NINGUÉM SE IMPORTA COMIGO. Eu ainda busco, busco por quem vá segurar na minha mão, e falar que me ama, não que ama você. Amar você é fácil, é bom, é tranquilizante. Até eu mesma te amo, de tão fácil que é. Sim eu sei que você é a única que se importa, você sede seu espaço para mim diariamente, pois você crê, que se eu tiver seu espaço irei olhar o mundo com os seus olhos. 

 Não me ceda mais espaço, eu imploro, você é o que nos mantém vivas. 

Todas as pessoas que chegaram ao ponto de precisar me amar, ou fugiram, ou perguntaram por você “Onde está aquela moça feliz e altruísta?” ou tentaram ao máximo me curar, e me transformar em você. Eu nunca serei você.  

Eu sempre penso na injustiça que seria te privar do mundo, do mundo que você tanto ama e tanto quer ajudar, ou privar o mundo de uma pessoa tão boa. Mas mesmo com o amor que você sente pelo mundo, você continua tão altruísta, que entende, se um dia eu quiser privar-nos dele, ou privar ele de mim. Infelizmente, não posso me separar de você, porque eu e você somos uma só. Mas ninguém se importa comigo.

#Poesia #Concurso #Eternizarte

Ler conteúdo completo
Indicados para você