[ editar artigo]

Na janela

Na janela

Um passarinho pousou na janela
A ele, sorrindo, chamei de Amor
Tão leve, assim, invadiu, encantador
Olhar miúdo, num canto, à capela.
 
Amor expandiu, beleza em cores
Sabia cada nota e afeto a dar
Tinha asas aveludadas, de abraçar
Um alívio ao meu peito de dores.
 
Em sonho acordado para viver
Companhia em silêncio ao entardecer
Dos minutos juntos em felicidade.
 
Pequeno coração de penas partiu
Em meu canto, aqui, me deixou
Na janela, saudade ficou.
 

Ler conteúdo completo
Indicados para você