[ editar artigo]

Na boca de pobre

Também vou de novo

sem medo do povo

também quero enjoo

pensa na jiboia heroica 

quem dorme com a noia

colhe planta da noite. 

Como Olinda da lua.

Na baiuca da estrada vejo lama entojada

poucas essas palavras chiques enojadas 

na boca de pobre 

vira naja recalcada.

EternizArte
Ler conteúdo completo
Indicados para você