[ editar artigo]

Mentiras após o pôr do sonho/Mentiras após o pôr do Sol

Mentiras após o pôr do sonho/Mentiras após o pôr do Sol

 

 


A psíquica jornada,se perdera em um matagal,
de fragmentadas morais e entretantos,
de fetais cantos.
Achara,que,o me conhecer,
sofreria...;
mas,em um literato neuronal a me ater,
me despontaria.


Em pisada terra,todo sonho erra.
O amor imperfeito,
a mim,sempre me tivera eleito.
O mentir ao  temido sucumbir,
me fez em honras,resistir.


Opresso em paredes do retiro,
de blasfêmias pregressas,
de justificada razão;
me atiro.
Respiro.


Tumbal Mundo profano,
de luzes brilhantes,em um pacato insano.
Deixe,que o dia gema,
se revire e crie problema.


Sou um mundano da noite,
de iluminado afoite.

Ler conteúdo completo
Indicados para você