[ editar artigo]

Mais azul, mais colorido

Mais azul, mais colorido

Mas tinha que respirar! Não dava pra viver como minha mãe desejava. Seria ótimo! Se não fosse impossível. Ela fez uma redoma de proteção que me desprotegia! Lembro que certa vez, criança , quando ainda morava naquela rua " sem saída", tive a primeira sensação de "trincos naquela redoma". Minha melhor amiga se mudaria do bairro, da rua, da minha vida. Como assim? Ontem estávamos brincando, e hoje, estou aqui, batendo à porta de sua casa, sem respostas. Acho que ainda as espero. Hoje, em análise, volto à rua sem saída, bom, ela não tem, mas eu estou aprendendo a tê-las. Tenho aprendido a criar as saídas! Não há como manter a vida em redomas, em potinhos organizados, cada um em seu lugar. Há muitos lugares, e desejo, hoje, ainda que perdida em alguns momentos, caminhá--los. Quero caminhar para além das redomas, para além daquela rua, que apesar de sem saída, há entradas, assim como os potinhos, como meu escritório (vida dentro da minha vida), como minha infância, e descobrir que, a única saída possível é reinventar as rotas, desenhar portas imaginárias, janelas coloridas. Aliás, sou designer, sou boa nisso! Hum... Acho que preciso usar mais " saias".... intuição. Até a próxima sessão. 

Ler conteúdo completo
Indicados para você