[ editar artigo]

"Lua"

 

Permita-me chamar-te estrela,

mesmo não tendo própria luz.

E a noite tornando bela,

teus mistérios me seduz.

 

Apresenta-nos quatro fases.

Seus encantos, minhas inspirações.

Das pautas e das notas são as claves,

transformadas em emoções.

 

Surgindo sempre nova,

crescente junto a devoção.

Linda e cheia me põe à prova,

jamais minguante admiração.

 

Seus efeitos dizem até,

astrônomos, geólogos e poetas,

responsáveis pelas marés

e confidências de paixões secretas.

 

Lua, amiga seresteira,

desperta amores e saudades traz.

És tu minha companheira,

nessa noite lhe quero paz.

 

19/01/10

Antônio de Pádua Elias de Sousa

Formiga-MG

 

 

 

EternizArte
Antônio de Pádua Elias de Sousa
Antônio de Pádua Elias de Sousa Seguir

Natural de Formiga-MG, formado em Administração de Empresas, casado três filhos, membro da Academia Formiguense de Letras, 17 livros escritos, com trabalhos publicados em antologias, revistas e jornais, nacionais e internacionais.

Ler conteúdo completo
Indicados para você