[ editar artigo]

Leite de limão

Leite de limão

Não quero viver de incerteza 

Por mais que assim tudo esteja

Não quero saber apenas da morte 

Não quero depender apenas da sorte 

 

Quero viver além do trivial, 

Me libertar do que limita meu potencial, 

E entender que não há mais de sofrer,

Para viver o que sempre desejei 

 

Sou a mesma carne de antes,

Com o mesmo coração que tange 

O Sangue e sentimentos pelas fibras que rangem 

E amolecem na pancada e sangram liberdade 

 

Vivi sonhos que não me pertenciam 

Tive palavras censuradas que ficaram na garganta

Fermentando, cortando, inflamando com violência 

 

Mas a vida só começa quando se vive os medos  

Deixarei de existir e começarei a ser humana!

Me perco, me confronto, 

me encontro, me encanto!

 

A liberdade tem raça, 

gênero e classe social, 

Mas cansei de aceitar esse discurso superficial 

Sem mais ironias, 

e se alimentar de mentiras

Elas me deixam cada vez mais vazia 

 

A ignorância me ensinou pela dor

Que levar a vida de forma alheia 

É se entregar como se não tivesse valor 

 

Eu quebrarei as correntes da indignação 

Serei a chuva que quebra 

o solo seco do sertão 

Me chamarei de impossível

A mais improvável combinação 

Eu serei o leite de limão!

 

#Poesia #Concurso #Eternizarte

EternizArte
Giovanna Souza Cavalcante
Giovanna Souza Cavalcante Seguir

estudante, 17 anos. sou múltipla na minha unicidade...

Ler conteúdo completo
Indicados para você