[ editar artigo]

Karentenha - Poesia

Karentenha - Poesia

O invisível me trancou

Na prisão mais conhecida (por minha pessoa)

Ele não nos avisou

Agora, até o silêncio (ressoa)

 

Os dentes dela

Vistos não são mais

Um pedaço de pano os cancela

Que falta o sorriso visto faz

 

Minhas asas foram cortadas

Mas pelo bem dos outros pássaros

Esperanças foram alimentadas

Respirem, 'Lázaros'!

 

Decisões! Montanhas não plenas...

Voar para a morte? 

Não batê-las para viver! Quaretena.

Deixe viver! Paciência, Karen, tenha!

 

Escrito por Hector Araújo em 28.7.20

#Poesia #Concurso #Eternizarte

EternizArte
Hector Araújo
Hector Araújo Seguir

Escritor da razão que usa a emoção.

Ler conteúdo completo
Indicados para você