[ editar artigo]

INVERÍDICO

INVERÍDICO

INVERÍDICO

D'olhos abertos, eu talvez enxergue
Quanto por idealismo eu me iludia.
A verdade é que tudo parecia
Pouco mais do que a ponta do icebergue.

Varo a noite à procura d'um albergue
Em viagem através de Desvairia.
À fábula eu proponho a fantasia,
Que torres de marfim no deserto ergue.

As mentiras que conto são histórias:
Verdades inventadas ou memórias
Daquilo que jamais aconteceu.

Baseadas nos eventos mais irreais,
Minhas palavras soam falsas demais...
Em todo caso, são apenas eu.
 
Betim -  02 08 2020

EternizArte
Ricardo CUNHA
Ricardo CUNHA Seguir

Escrevo. Gosto de escrever. Se sou escritor ou poeta, eu deixo para o leitor ponderar. https://medium.com/@arqt.ricardoc

Ler conteúdo completo
Indicados para você