[ editar artigo]

HORAS D'OURO

HORAS D'OURO

HORAS D'OURO

As jandaias no pé de jade em flor
Voejavam em bulício estridente.
O sol da tarde caindo lentamente
Com mil raios a mudar tudo de cor.

As copas, forrações...  Ao derredor
Douravam n'uma pátina esplendente!
Enfim, tinha horas d'ouro em minha lente
Para fotografar tudo melhor.

D'algum modo, a aparência mais a essência
Se faziam mais pura transcendência,
N'esse lindo lugar, lugar nenhum.

Faço as fotos assim, embevecido 
Incerto do que já fosse ter sido
Tão belo quanto é belo qualquer um.

Betim - 01 08 2020

EternizArte
Ricardo CUNHA
Ricardo CUNHA Seguir

Escrevo. Gosto de escrever. Se sou escritor ou poeta, eu deixo para o leitor ponderar. https://medium.com/@arqt.ricardoc

Ler conteúdo completo
Indicados para você