[ editar artigo]

FUGA

FUGA

 

 

Fugiu para o oco do mundo

                     por uma escada

                                 sem fim.

Abandonou seus inesquecíveis botões

                     de roupas e de rosas.

 

Fugiu para o espaço sideral

                     abocanhando planetas,

                                 num vento sem começo.

Deixou suas queridas estradas

                     de terras e de pedras.

 

Fugiu para as montanhas imensas

                     galgando precipícios desesperados

                                 em sapatos de solas rotas.

Esqueceu seus tênues hábitos

                     de cachimbos e espelhos.

 

Fugiu para o fundo do mar

                     numa caravela avariada

                                 sem leme e sem velas.

Traiu seus filhos e amigos.

 

Fugiu para um deserto cálido

                     sobre rodas assimétricas

                                 sem norte e sem freios.

Negou o adeus ao seu fiel cachorro.

 

Fugiu para dentro de si

                     para de lá não mais sair...

 

TAGS

poesia

Ler conteúdo completo
Indicados para você